NUMISMA LEILÕES n.º 127, dia 27 de maio de 2021

Quarta-feira, 19 de Maio de 2021
NUMISMA LEILÕES n.º 127, dia 27 de maio de 2021

No próximo dia 27 de maio, empresa Numisma Leilões, com sede em Lisboa, prossegue as suas atividades com a apresentação do seu 127º Leilão, denominado de Coleção Maravilha II, com 554 lotes e onde, como é habitual, nos deparamos com espécimes numismáticos de real valor e de grande raridade, bem como um bem composto núcleo de livros de numismática onde despontam algumas preciosidades.

Esta venda pública, exclusivamente online, irá realizar-se em sessão única, a partir das 15H00. Apesar do leilão decorrer apenas na internet, a Numisma S.A. mantém, e bem, a tradicional produção e distribuição de um catálogo impresso com a boa qualidade gráfica das edições desta empresa, decana na realização de leilões de numismática em Portugal.

Entre a diversidade dos lotes presentes em leilão encontram-se moedas, medalhas, ações e bibliografia numismática com interesse para um alargado naipe de colecionadores, a par de peças de elevado valor e raridade. Parece-nos que a apresentação de leilões com estas características, são essenciais para incentivar o colecionismo numismático e, em especial, o surgimento de novos colecionadores, por forma a dar um maior dinamismo e sustentabilidade a esta atividade comercial especializada. Mas também, com a edição de catálogos rigorosos e de boa qualidade gráfica, a Numisma S.A. também presta um relevante contributo à projeção internacional da nossa Numismática.

Os 554 lotes repartem-se por vários períodos cronológicos e áreas geográficas, desde o Mundo Antigo (n.º 1-29) à atualidade, passando pela numária da monarquia visigoda (n.º 30-32), da presença muçulmana na Península Ibérica (n.º 33-54 e 219-220), de Portugal (n.º 55-188 e 228-320) e antigas colónias (n.º 189-218 e 321-339), assim como pela moeda estrangeira (n.º 340-431), livros da especialidade (n.º432-461), ações (n.º462-516), medalhas portuguesas (n.º 226 e 517-550) e de outros países (n.º 225, 227 e 551-554) e até quatro belíssimos e raros “pratos de esmolas” de Nuremberga (n.º 221-224).

Neste generoso conjunto de lotes postos em leilão, cada leitor terá as suas preferências, naturalmente, influenciadas pela beleza artística, raridade, estado de conservação dos diferentes espécimes, mas também pelos interesses colecionísticos e, sobretudo, pelas disponibilidades financeiras de cada um. Contudo, como não estamos nesta posição, é-nos permitido destacar os exemplares que mais nos despertaram a atenção, procurando não influenciar as nossas escolhas pelos exemplares da nossa área predileta, o Mundo Antigo, desde há muitos anos a esta parte. Mas, na verdade, neste leilão não podemos omitir uma referência ao Mundo Antigo, particularmente à numária da Hispânia romana cunhada no território que atualmente Portugal, representada por um atrativo conjunto de 12 lotes com exemplares de Balsa, Salacia, Ebora e Pax Iulia (n.º 1-12), sempre muito apreciados e de difícil aquisição no mercado.

Na numária muçulmana é obrigatória a menção aos raríssimos exemplares, um quirate e um meio quirate, cunhados por Abu Muhammad Sidray b. Wazir, entre 1144 e 1152, em Silves e, por isso, de considerável valor histórico (n.º 219-20).

Entre os lotes reservados a Portugal e Colónias são muitos os motivos de interesse, mas aqui iremos elencar os que mais nos despertaram a atenção: o raro Meio Real atípico, P/P-o, de João I (n.º 73), o Espadim ou Meio Justo de João II, moeda muito rara e muito apreciada (n.º 98); o muito bem conservado Cruzado, lavrado em Lisboa, de Manuel I (n.º 101); o bonito Tostão do Porto, P-o, de João III (n.º 117); os 3 exemplares da Moeda de Pedro II, datados de 1690, 1703 e 1706, em invulgar estado de conservação (n.º 163, 164 e 166); e os sempre muito procurados 2000 Réis, 1870, de Luís I (n.º181). Na numária colonial, é obrigatória a referência à mítica moeda de 6 Macutas de Angola, 1762, de José I que, devido à sua alta raridade, poucas coleções públicas e privadas têm a possibilidade de a exibir; ainda neste apartado, ainda cabe referir o interessante ensaio em cobre de Atiá 1851, de Dio, sob Maria II (n.º 202).

Segue-se um variado conjunto de lotes onde iniciados no colecionismo, comerciantes da especialidade e colecionadores mais evoluídos poderão encontrar bons lotes de moedas da República a preços mais acessíveis, bem como moedas de emissões especiais (n.º 228-339).

Um expressivo conjunto de lotes de moeda estrangeira, sobretudo de ouro e prata, encontrará também muitos interessados neste tipo de numária internacional (n.º 340-431).

A bibliografia numismática, representada por pouco mais de três de dezenas de lotes, alberga diversos livros raros (n.º 432-461), muito procurados por bibliófilos, onde constam autores consagrados, como Bellorius, Du Molinet e Lastanosa, a par com bibliografia mais corrente, sendo alguns itens já escassos. Por certo, estão secção deverá ter muitos candidatos à aquisição de vários dos lotes em venda.

O leilão encerra com os lotes, atrás referidos, de ações de um considerável número de companhias e outras instituições (n.º 462-516) e por um expressivo grupo de lotes reservados à medalhística (n.º 517-554).

Mais uma vez, a Numisma está de parabéns por nos presentear com mais este leilão. Fazemos votos para que tamanho esforço seja coroado por o maior sucesso.

 

Rui M. S. Centeno (Presidente da SPN)

 


< voltar

78ª Permuta Inter-Associados e NVMMVS: informação

NUMISMÁTICA LEILÕES: 47º leilão, em 25 de junho de 2021
NUMISMÁTICA LEILÕES: 47º leilão, em 25 de junho de 2021