NUMISMA LEILÕES n.º 125, dia 3 de dezembro de 2020 - LEILÃO ONLINE

Terça-feira, 01 de Dezembro de 2020
NUMISMA LEILÕES n.º 125, dia 3 de dezembro de 2020 - LEILÃO ONLINE

O 125ª leilão da casa Numisma Leilões SA. será a última grande venda pública de moedas deste final do ano em Portugal, ao apresentar-se recheado de preciosidades, quer numismáticas, quer bibliográficas. 

Na verdade, ao longo dos 439 lotes que constituem este evento numismático deparamo-nos que diversas preciosidades, muito difíceis de encontrar, mas também com um seleto conjunto de lotes, de grande qualidade e diversidade, monetariamente acessíveis a uma grande parte dos colecionadores nacionais. Deve ainda assinalar-se que este evento é acompanhado por um bom catálogo com ilustração de todos os lotes como é timbre da empresa leiloeira dos irmãos Sáez Salgado.

Este leilão exclusivamente online, pelas razões que todos vivemos, decorrerá no próximo dia 3 de DEZEMBRO, em sessão única a partir da 15H00. Os interessados em participar neste evento poderão fazê-lo através das plataformas bidspirit e bidinside.

Para este evento foram selecionados pela competente equipa de profissionais da Numisma Leilões, 439 lotes  de moedas romanas, suevas e visigodas (n.º 1-53), muçulmanas (n.º 54-102), portuguesas (n.º 103-329) e estrangeiras (n.º 330-79), com a habitual forte presença de moeda de ouro, bem como medalhas (n.º 380-93), cédulas portuguesas (n.º 394-424) e um invulgar conjunto de raridades bibliográficas da especialidade (n.º 429-39), poucas vezes reunido em Portugal.

A venda inicia-se com um bom conjunto de moedas romanas e hispano-romanas, onde sobressai um raro “bronze” de Brutobriga (n.º 33), enquadrável na 2ª metade do século II a. C., que, tradicionalmente, é atribuído a Santarém/Abrantes sem grande fundamento, devendo procurar-se o seu local de lavramento em outro local (talvez Cáceres ou Badajoz se se atender aos achados registados desta emissão). Segue-se um precioso triente suevo com a legenda BERENƨE MVNITA, da mais alta raridade e em excelente estado de conservação (n.º 52).

Na secção do leilão reservado a Portugal e antigas colónias pontificam diversos “highlights”, como os dois morabitinos de Sancho I (n.º 103-4), o tornês de busto portuense, P-O, de Fernando I (n.º 136), o meio S. Vicente e o raríssimo cruzado de João III (n.º 196 e 197), o belo engenhoso de Sebastião I (n.º 229) que integrou a antiga coleção Abecassis, vendida em Genebra em 1986, os raros 4 e 2 cruzados de Filipe II (n.º 240-41), os sempre apreciados dobrões joaninos, no caso em apreço, de 1725 M (n.º 272) e os 2000 réis, 1870, de Luís I (n.º 311). Destaque especial é bem merecido por uma moeda áurea excecional, da Índia portuguesa: o escudo de S. Tomé, de João III (n.º 326), de que se conhecem apenas 4 exemplares, tendo o agora apresentado pertencido à importante coleção de António Marrocos, leiloada em Genebra em 1995.

Entre o numerário estrangeiro, onde estão bem representados exemplares áureos do Canadá, Estados Germânicos, E.U.A., México e sobretudo do Reino Unido, o nosso destaque vai para os muito raros 6400 réis, 1828 R, do Imperador Pedro I do Brasil (n.º 339), excelentemente conservada (n.º 339), peça que irá despertar, certamente, o interesse de diversos colecionadores nacionais e estrangeiros.

Depois de um grupo de interessantes lotes múltiplos de medalhas (n.º 380-93), cédulas de Portugal (n.º 394-424) e pesos e balanças (n.º 426-28), o leilão encerra com um valioso conjunto de lotes de livros, atrás referido, onde podemos deparar com obras raras e pouco acessíveis no mercado do livro antigo, como é o caso do excecional lote de livros relacionados com a célebre coleção de Julius Meili (n.º 433), sendo pouco provável que um lote com uma constituição similar venha a ser oferecido para compra no futuro; aqui também é possível apreciar as três edições das Notícias de Portugal, Severim de Faria, publicadas em Lisboa nos anos de1655, 1740 e 1791, respetivamente (n.º 435-37), obra com interesse para os estudiosos da numismática nacional; um destaque final para a conhecida obra, muito rara, de Augusto de Souza Lobo, Catálogo da numismática brasileira. I Parte (n.º438), sem esquecer a edição original da famosa obra de Aloïss Heiss, sobre a modas visigodas de Península Ibérica, publicada em 1872 (n.º 432) e o sobejamente conhecido (e ainda hoje muito útil) livro Batalha Reis, Morabitinos portugueses, de 1940 (n.º 434), atualmente muito difícil de obter no mercado alfarrabista.

É sempre de realçar o denodado esforço e a persistência da Numisma S.A., que, juntamente com as associações e outras empresas ligadas ao ramo da numismática, procuram contribuir para manter vivo e incentivar o estudo e o colecionismo numismáticos, que, nunca é demais sublinhar, merecem o nosso reconhecimento e  louvor.

Rui Centeno


< voltar

NUMISMA LEILÕES n.º 125, dia 3 de dezembro de 2020 - LEILÃO ONLINE
NUMISMA LEILÕES n.º 125, dia 3 de dezembro de 2020 - LEILÃO ONLINE

77ª PERMUTA POR CORRESPONDÊNCIA: Já na próxima 5ª feira, 22 de outubro
77ª PERMUTA POR CORRESPONDÊNCIA: Já na próxima 5ª feira, 22 de outubro